13/06/2017 15h07

Após PSDB decidir ficar no governo, Reale Júnior anuncia saída do partido

Ex-ministro da Justiça Miguel Reale Junior.

O ex-ministro da Justiça Miguel Reale Junior pediu a desfiliação do PSDB após o partido decidir ficar no governo do presidente Michel Temer. Foi a primeira baixa importante na legenda depois da decisão.

Ao Blog do jornalista Gerson Camarotti, o jurista, um dos autores do pedido de impeachment de Dilma Rousseff, afirmou que não tem condições de ficar num partido que "relativiza" a questão ética.

"Não me sinto confortável em ficar num partido que permanece no governo Temer mesmo depois de todos os fatos revelados. Não dá para relativizar a questão ética. Participei de momentos importantes do partido. Mas cansei de vacilações. Espero que o muro do PSDB seja bastante grande para que o partido se enterre nele", desabafou o jurista.

Miguel Reale Júnior disse, ainda, avaliar que não é correto o PSDB usar como argumento para permanecer no governo Temer a necessidade de aprovação das reformas.

"O partido usa o discurso das reformas como desculpa. O PSDB poderia apoiar as reformas mesmo fora do governo", disse Reale Júnior, que foi ministro da Justiça no governo de Fernando Henrique Cardoso.

Ele também criticou o partido pelo fato de ainda não ter recorrido da decisão do Tribunal Superior Eleitoral que rejeitou cassar a chapa Dilma-Temer. O pedido de cassação da chapa foi apresentado pelo PSDB, ainda em 2014.

"O PSDB deveria ter recorrido dessa farsa", concluiu Miguel Reale Júnior ao Blog.

Do G1

COMENTÁRIOS

Usando sua conta do Facebook para comentar, você estará sujeito aos termos de uso e politicas de privacidade do Facebook. Seu nome no Facebook, Foto e outras informações pessoais que você deixou como públicas irão aparecer no seu comentário e poderão ser usadas nas plataformas do iFato.