25/10/2017 14h54

Com policiamento, vereadores aprovam projeto que altera o PCCR em Dourados

Sessão extraordinária desta quarta-feira (25) aconteceu com reforço policial. Foto: João Pires/Estado Notícias

Por 13 votos favoráveis e seis contrários, o projeto do Executivo que altera o PCCR (Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações) foi aprovado na manhã de hoje (25), na Câmara Municipal de Dourados.

A votação aconteceu depois de duas sessões encerradas pela presidência da Casa, por conta de protestos dos servidores da Educação que lotaram as galerias da Câmara na segunda-feira (23) e na noite de terça-feira (24).

No entanto, na quarta (25) pela manhã, a presidente Daniela Hall (PSD) determinou que a segurança da Casa fosse reforçada para garantir o andamento da sessão extraordinária. A Polícia Militar e a Guarda Municipal controlaram a entrada dos manifestantes e restringiu o acesso dos servidores às galerias.

Adição iFato: Poucas pessoas foram autorizadas a ter acesso as cadeiras do plenário, até parte da imprensa foi barrada na porta de acesso ao espaço.

Às 10 horas a sessão foi iniciada e logo nos primeiros minutos a presidente Daniela suspendeu a reunião e pediu aos manifestantes que entregasse os apitos e garrafas pets (utilizadas para fazer barulho) aos guardas municipais, o que não ocorreu.

A sessão ficou suspensa por mais de uma hora e enquanto isso, servidores que não puderam acompanhar os trabalhos dos vereadores dentro da Casa de Leis, fecharam a avenida Marcelino Pires, usando faixas em protesto pela votação.

A reunião pode ser acompanhada ao vivo pelo canal do you tube, disponível pelo site da Câmara Municipal e no canal 6, da Net (antiga ViaCabo).

VOTAÇÕES

As 11h10 a sessão foi reiniciada mesmo com as manifestações dos servidores que insistiam para que o projeto fosse retirado.

No primeiro momento foi votada a inclusão na pauta de votações, aprovado por 13 votos favoráveis, 5 contrários e uma ausência.

Em seguida foi votada uma proposta de emenda ao projeto de autoria dos vereadores Marçal Filho (PSDB) e Madson Valente (DEM), que foi rejeitada com 13 votos, 4 favoráveis e duas ausências. Também foi votado outra emenda proposta pelo vereador Elias Ishy (PT), rejeitada por 12 votos contrários, 5 favoráveis e uma ausência.

Por fim, a votação ao projeto PL 23/2017, que trata de alterações na Lei nº 267 foi aprovado pelos vereadores Cirilo Ramão (PMDB), Júnior Rodrigues (PR), Silas Zanata (PPS), Bebeto (PR), Jânio Miguel (PR), Braz Melo (PSC), Cido Medeiros (DEM), Idenor Machado (PSDB), Juarez Oliveira (PMDB), Romualdo Ramin (PDT), Carlito do Gás (PEN), Pedro Pepa (DEM) e Sérgio Nogueira (PSDB).

Votaram contra, os vereadores, Madson Valente (DEM), Marçal Filho (PSDB), Alan Guedes (DEM), Olavo Sul (PEN), Elias Ishy (PT) e Daniela Hall (PSD).

Do Estado Notícias, com adição de iFato

COMENTÁRIOS

Usando sua conta do Facebook para comentar, você estará sujeito aos termos de uso e politicas de privacidade do Facebook. Seu nome no Facebook, Foto e outras informações pessoais que você deixou como públicas irão aparecer no seu comentário e poderão ser usadas nas plataformas do iFato.