27/12/2017 14h27

Prefeitura de Dourados paga 13º na sexta, mas deixa alguns para 2018

Servidores de Dourados durante passeata hoje na Marcelino Pires. Foto: Adalberto Domingos

A prefeitura anunciou hoje (27) que outros 2.835 servidores municipais de Dourados, cidade a 233 km de Campo Grande, vão receber na sexta-feira (29) o décimo terceiro salário. De acordo com o secretário de Fazenda, João Fava Neto, o pagamento será feito com o repasse estadual de ICMS, de mais R$ 1,9 milhão em sobras do duodécimo devolvidas ontem pela Câmara de Vereadores e de recursos arrecadados com o Refis municipal.

Essa será a segunda etapa de pagamento, já que na semana passada foi depositado o abono de 3.727 funcionários da saúde e da educação. Mesmo com o pagamento do 13º na sexta, 154 servidores, que têm salário acima de R$ 9 mil, só vão receber o abono em 2018.

João Fava Neto disse que na primeira etapa foi pago o 13º a 2.655 profissionais da educação, num total de R$ 4,9 milhões. O dinheiro usado era do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação).

Também foram pagos R$ 2 milhões a 1.072 servidores da saúde que recebem até R$ 3,4 mil líquidos com dinheiro repassado pelo governo federal para custear a média e alta complexidade. O montante pago na primeira etapa totalizou R$ 7 milhões.

De acordo com a assessoria da prefeitura, nesta segunda etapa vão receber o abono 942 servidores administrativos, 1.357 da educação, 26 da Agehab (Agência de Habitação), 94 da Agetran (Agência de Trânsito), 16 da Funed (Fundação de Esportes), sete da Secretaria de Assistência Social, 366 da saúde e 27 do Imam (Instituto de Meio Ambiente). A segunda etapa do 13º dos servidores de Dourados soma R$ 8,3 milhões.

“Com mais essa liberação, praticamente concluímos o pagamento do 13º do funcionalismo, quase 98% deles. Os outros 2% restantes (154 servidores), que são aqueles que ganham acima da média, receberão na próxima etapa do escalonamento”, explicou o secretário.

Desde outubro a prefeitura da segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul vem pagando os servidores de forma escalonada. A equipe da prefeita Délia Razuk (PR) diz que a crise financeira foi provocada principalmente pelo rombo dos planos de cargos e carreira dos servidores.

Aprovados na administração do ex-prefeito Murilo Zauith (PSB), os planos entraram em vigor em 2017.

Do Campo Grande News

COMENTÁRIOS

Usando sua conta do Facebook para comentar, você estará sujeito aos termos de uso e politicas de privacidade do Facebook. Seu nome no Facebook, Foto e outras informações pessoais que você deixou como públicas irão aparecer no seu comentário e poderão ser usadas nas plataformas do iFato.